Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]







Se não for para me satisfazer totalmente, nem entres na minha vida

Segunda-feira, 18.09.17

amorportaabertapixa.jpg

Não quero metades. Odeio coisas pela metade! Metade de um bolo, copo a meio, tarefas a meio e histórias a meio não são coisa para mim. Comigo é o tudo ou não é nada.

 

Não tenho a minha porta entreaberta para andares a espreitar e ver o que se passa, ver uma oportunidade para entrar, usares o que queres a teu bel-prazer para depois fugires do mesmo modo.

 

A porta não está entreaberta, ela está mesmo escancarada. Mas não te iludas. Ela está totalmente escancarada para quem sabe o que realmente quer. Esta porta só está aberta para a determinação.

 

Os teus medos, a tua insegurança, o teu passado e essa confusão mental que não te deixa evoluir são um problema teu, não meu. Sinto-me bem resolvido, sei bem o quero. E tu?

 

Se queres, decidi. Entra e fica, dá tudo o que tens para dar e eu te darei na mesma proporção. Confusões e medos do passado? Problema teu. Não entres na minha vida se não sabes o que queres. Nem entres para me dar coisas pela metade.

 

Num relacionamento eu quero tudo. Tudo mesmo! Tudo tem de estar no máximo, desde o amor até ao sexo. Sim, o sexo também tem de ser sem pudores. Num relacionamento eu quero tudo de ti, quero-te completa, inteira, corpo e alma entregues totalmente. Te darei do mesmo modo, sem metades.

 

Sei exatamente o que quero, o que o meu corpo pede e deseja. Não vou fugir a isso, como tu foges de ti mesma. Não vou negar as minhas necessidades e desejos e viver um conto pela metade. Da mesma forma que não compro um livro para ser apenas metade. É para ler até ao final.

 

É isto que eu quero de ti: tudo! Quero tudo e com satisfação total. Não me venhas com pudores, com inseguranças, com medos passados. Se não for para me satisfazer totalmente – como eu te prometo a ti – nem vale a pena entrares na minha vida.

 

Nota: Escrito de homem para mulher, mas também serve para eles… Afinal de contas, o que não faltam por aí é homens e mulheres que vivem de metades.

 

 

 
 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)




subscrever feeds