Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]







Quero foder-te com a mesma intensidade que te amo. Qual é a dúvida?  

Terça-feira, 25.07.17

1391990803-sexo_imagem-ilustrativa.jpg 

Deixemos os rótulos nas devidas embalagens e falemos do amor e do sexo sem preconceito, naquele tom javardo que gostamos de ouvir e falar naquelas noites loucas de prazer.

 

Amor é uma coisa e sexo é outra? Até pode ser, mas os dois em conjunto… Nem imaginas as voltas que davas à lua sem descolar os pés da terra.

 

Posso ser o homem que te ama, que te manda flores, que manda mensagem de bom dia, que te chama de princesa, que te trata com o carinho de alguém verdadeiramente apaixonado. Mas sou muito mais do que isso, e quero que saibas que estou louco para te foder com a mesma intensidade que te amo.

 

Sim. A nu, cru, sem rótulos de que homem apaixonado não tem safadeza, não te pode levar aos confins da selvajaria que é uma boa noite de sexo.

 

É claro que vamos começar devagarinho, com romantismo, com o amor. Começar pelos beijos lentos, pelas caricias. Vou despindo-te lentamente, deixar-te como vieste ao mundo. Vou levar a minha língua a fazer um safari por esse teu corpo, até que ela chegue às profundezas do teu íntimo.

 

É aí que permanecerei por alguns instantes. Instantes que vão parecer uma eternidade, onde tu te revirarás, várias vezes, onde mandarás abrandar para disfrutar do momento, ainda mais lentamente. É nessa altura que sentirás a tesão do amor que sinto por ti.

 

É aí que perceberás que amor, sexo e safadeza, quando bem conjugados, funcionam melhor do que qualquer sonho sexual que já tiveste. Sim, isso mesmo. Porque eu não te vou fazer sonhar. Eu vou fazer-te sentir!

 

Já quentes, loucos, e depois de um longo e excitante safari, onde as nossas bocas despertavam os íntimos do nosso corpo, pegarei no meu pau e irei foder-te. Irei foder-te com a mesma intensidade que te amo. E serás tu a pedi-lo: “vem, anda foder-me, mete o teu pau duro dentro de mim”.

 

Como no safari dos preliminares, irei começar devagar, a ver o meu pau a entrar por ti a dentro, sentir-te, fazer com que tu me sintas também, lentamente… Até envergarmos pelo lado bruto, selvagem, onde levaras, em várias posições, com o meu pau com cada vez mais força, até sentires que a ‘alma’ te sai do corpo.

 

É esse o amor que quero contigo: o que mete todo o romantismo e safadeza, a rodos, sem rótulos, sem vergonhas, na maior da javardice. Eu quero foder-te com a mesma intensidade que te amo. Tens dúvidas? De que estás à espera para desfaze-las!

 

 

 
 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)




subscrever feeds