Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]







Não, não é preciso ser milionário para ser feliz

Sábado, 28.10.17

7983FE81-8395-42D0-B967-D37B65CBBCCB.png

Pessoas felizes não são aquelas que têm uma conta bancária recheada, que estão sempre em hotéis de luxo, frequentam os lugares da moda, moram numa casa em frente ao mar. Nada disso te garante felicidade!

 

São aquelas pessoas, que mesmo com pouco, mesmo fazendo as contas para pagar as despesas do mês conseguem ter uma vida feliz, recheada de amizade, amor, carinho.

 

De que adianta ter muito dinheiro se, na hora de compartilhar momentos com a cara-metade, ligamos muito mais ao que vamos vestir - pensar se a roupa está ou não adequada, ao invés de nos centrarmos nos sentimentos?

 

A felicidade, além de variar de pessoa para pessoa, exige algo que não está escrito em lugar nenhum, a vontade de fazer com que todas as coisas deem certo.

 

A felicidade está nas coisas mais simples da vida, um abraço, uma palavra, uma frase, um incentivo para levar adiante os objetivos, uma mensagem depois ou antes de um dia de trabalho ou um simples bom dia. São estas pequenas coisas que fazem toda a diferença.

 

Termos a capacidade de rir um do outro, transformar as armadilhas da vida em conhecimentos e permitir que as diferenças não sejam motivo para discórdia.

 

 

Se um é benfiquista e o outro portista, se um ouve música clássica e o outro reggaeton, se um prefere filme de terror e o outro comédia, se um prefere falar e o outro escrever, se um prefere bola de Berlim e o outro uma nata, qual o problema?

 

Há clubes diferentes, músicas diferentes, filmes diferentes, além da escolha da sobremesa preferida de cada um, por exemplo. Só é feliz quem aceita que algo não é feito de duas pessoas iguais, mas sim de duas pessoas inteiras.

 

Ninguém precisa fazer voto de pobreza para ser feliz em qualquer ponto. Aliás, a minha avó costumava dizer: “quando o dinheiro entra pela porta, o amor sai pela janela”. Conhecemos inúmeros exemplos de amizades e amores que chegam ao fim quando as dificuldades financeiras aparecem. O que prova que tudo o que existia ali era um outro tipo de “$€ntim€nto”.

 

É mais feliz a dupla que consegue ver a felicidade além das coisas que o dinheiro pode comprar, porque a amizade, o amor e o carinho são sentimentos que o dinheiro não pode comprar. São esses sentimentos que tornam a vida mais rica, e são tão simples…

 

Agora pergunto:

 

O dinheiro ou a felicidade?

- Que se lixe o dinheiro, vamos mas é ser felizes, seja como for, da forma que pudermos.

 

 

 
 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)




subscrever feeds